Instrumento que era usado pelo músico para tocar no Centro da Capital foi roubado na segunda-feira (5). Para seguir trabalhando em projeto social que ensina crianças carentes e pagar estudos no Exterior, Salatiel Pereira iniciou uma vaquinha online.

É nas ruas de Porto Alegre que Salatiel Pereira, de 18 anos, faz apresentações diárias em busca de dinheiro para realizar um sonho: estudar numa escola de música na Europa. Morador do bairro Rubem Berta, na Zona Norte, o jovem músico descobriu aos 9 anos o gosto pela música. Aprendeu a tocar piano, violino e a viola de arco, sua favorita.

Há pouco mais de um mês, começou a ensinar, de forma voluntária, cerca de 30 crianças e adolescentes da comunidade em que vive no projeto ‘Vem com a gente’. Durante as aulas, na casa de um amigo, no bairro Passo das Pedras, ele usa um instrumento emprestado do professor. Os alunos aprendem a tocar percussão, violino e viola de arco.

“Eu não digo que vou estar tirando eles de algum lugar, uma situação, mas eu, com as minhas aulas, estou dando uma oportunidade, e nessa oportunidade, eles vão ter a escolha de aceitar ou não”, diz Salatiel.

Na última segunda-feira (5), o sonho de estudar fora ficou um pouco mais distante. Depois de conseguir dinheiro emprestado para comprar uma viola de arco, o jovem foi assaltado próximo de casa. Um homem armado levou o instrumento recém comprado e pago em cinco parcelas ainda a vencer.

“Ele chegou direto no meu instrumento. Eu nem terminei de pagar ainda.”

O caso é investigado pela 14ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre. O G1tenta contato com o delegado Cléber dos Santos Lima, mas ainda não teve retorno.

Sem a viola para arrecadar dinheiro para a viagem e com dificuldades financeiras para se manter, já que com o instrumento ele conseguia dinheiro tocando na rua, Salatiel começou uma vaquinha na internet.

“Eu já vendi água no Centro. Eu já vendi paçoca na Assis Brasil, e agora estava tocando para conseguir dinheiro.”

O valor arrecadado será usado para pagar os custos com o intercâmbio e ainda vai ajudar a comprar instrumentos musicais para o projeto social que Salatiel participa.

“A gente tem que estar preparado para encarar esses socos. Tem uma frase que eu falo muito que é o do Martin Luther King. ‘Se não puder voar, corra. Se não puder correr, caminhe, se não puder caminhar, rasteje, mas rasteje mesmo’. Nunca jamais desista dos sonhos, dos objetivos, das metas”.

Para tocar nas ruas da Capital, Salatiel usava instrumentos emprestados.  — Foto: Reprodução/RBS TV
Para tocar nas ruas da Capital, Salatiel usava instrumentos emprestados. — Foto: Reprodução/RBS TV

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui