Germanie Paul, de 29 anos, morava no Brasil há quatro anos. Há aproximadamente um ano e meio, começou a trabalhar no estabelecimento onde acabou sendo assassinada. Polícia Civil investiga o crime.

Antes do velório de Germanie Paul, de 29 anos, um grupo de haitianos esteve reunido neste domingo (11) para consolar familiares. A mulher, que vivia no Brasil há quatro anos com o companheiro e a sogra, foi morta enquanto trabalhava em um motelna madrugada de sábado (10), em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Germanie Paul, de 29 anos, foi encontrada morta dentro de um quarto de motel em Gravataí — Foto: Reprodução/RBS TV
Germanie Paul, de 29 anos, foi encontrada morta dentro de um quarto de motel em Gravataí — Foto: Reprodução/RBS TV

“Eu que sempre fui lá ficar com ela como segurança. E nesse dia em que ela foi trabalhar, minha mãe não estava aqui, e as crianças iam ficar aqui. Quando eu vi minha esposa não entrar em casa, eu peguei meu carro, eu fui lá no trabalho dela”, relata o marido.

“Espero justiça para ela, só isso”, acrescenta.

Germanie Paul trabalhava como recepcionista do motel — Foto: Reprodução/RBS TV
Germanie Paul trabalhava como recepcionista do motel — Foto: Reprodução/RBS TV

Germanie deixa dois filhos. A comunidade haitiana está revoltada porque a família só ficou sabendo do assassinato horas depois e pelo noticiário.

“Faleceu um funcionário, tem que avisar o marido, familiar da pessoa, e não avisou. Ele teve que ir até lá para descobrir o que estava acontecendo e, quando chegou, nem viu o corpo da mulher dele, que já tinha sido levado para o IML [Instituto Médico Legal]“, reclama a estudante Jan Roosevelt Dasney.

A mulher trabalhava como recepcionista no motel há aproximadamente um ano e meio.

“O motel está funcionando sem segurança, né? A mulher trabalhava sozinha, uma mulher, uma mulher trabalhando sozinha de noite… Imagina”, observa o auxiliar metalúrgico Fred Blando.

Polícia investiga

A polícia está analisando imagens de câmeras de segurança para tentar entender em que circunstâncias Germanie foi assassinada. Já se sabe que o principal suspeito chegou às 21h de sexta-feira ao local e teria cometido crime por volta das 5h da madrugada de sábado.

As imagens não foram divulgadas pela polícia, mas mostram que o homem conversou diversas vezes com haitiana na administração do motel e que ela esteve três vezes no quarto com ele. Na terceira vez, foi morta. A polícia acredita que ela tenha sido asfixiada.

Depois do assassinato, o homem roubou o dinheiro do caixa e o celular da vítima. A polícia acredita se tratar de um latrocínio e tenta identificar o suspeito, que fugiu do local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui