Filhos do casal, que estava reatando o relacionamento, acompanharam a coletiva de imprensa da polícia na delegacia. ‘Tu não quer acreditar que esse tipo de coisa vai acontecer’, disse um deles. Mulher sobreviveu e está no hospital. Homem foi preso.

Para a polícia, não há dúvidas de que o homem de 61 anos, preso em flagrante na madrugada de quinta-feira (22), em Taquara, é o autor dos disparos que acertaram a perna, o ombro e o peito da ex-mulher dele. O casal se separou em 2001, mas estava reatando o relacionamento havia um mês. Ferida, a vítima de 60 anos está no hospital.

A investigação aponta que o homem simulou um assalto enquanto os dois voltavam de Porto Alegre em direção a Taquara, de carro.

“Ele queria aparentar que estava bem com a esposa. Por isso ele planejou essa reaproximação dos filhos, da mãe, para que ninguém achasse que foi ele o autor do fato, porque seria uma ocorrência de roubo malsucedido. Não tem nenhuma hipótese de ter sido roubo”, afirma a delegada Rosane de Oliveira.

Logo que chegou ao Hospital de Pronto Socorro de Canoas, a mulher afirmou que foi o ex-marido que atirou nela. A declaração foi gravada pelos policiais (veja o vídeo acima). O G1 decidiu divulgar apenas o áudio para não mostrar o rosto da mulher.

Aos policiais, o ex-marido disse que havia sofrido uma tentativa de assalto, que criminosos teriam disparado contra o carro, e os dois conseguido fugir. Conforme a delegada, o homem não quis prestar depoimento. “Ele continua negando e afirmando que foi um roubo.”

A delegada informou ainda que veículo é novo e de baixa quilometragem e, assim, dificilmente daria problema. A arma ainda não tinha sido encontrada até a noite de quinta, e o carro foi encaminhado para perícia.

“Ele parou na proximidade daquele local, onde ocorrem muitos roubos, e disse que o carro estava com defeito mecânico, mas o carro tem sete mil quilômetros. É difícil ter defeito mecânico”, diz a delegada.

“Ao que eu tenho conhecimento, ele desceu do carro, pegou uma luva, pegou a arma e descarregou em direção ao vidro do carro onde estava a ex-mulher”, completa.

De acordo com a delegada, os filhos do casal contaram que a mãe era vítima de agressões, mas “os familiares não quiseram dar andamento”.

Filhos encontram munição em casa

A delegada informou que os filhos do casal encontraram, em cima da cama dos pais, munição igual à identificada no exame de balística após o crime.

Os três filhos, dois homens e uma mulher, estavam na coletiva de imprensa da Polícia Civil na manhã desta sexta-feira (23), em Taquara, e também falaram sobre o caso. Eles pediram para não serem identificados.

“A mãe foi para Caixas no domingo e ele ficou sozinho no apartamento. Com certeza ele fez toda essa bagunça do assalto antes de sair”, diz a filha.

“Só quem conhece minha mãe sabe o que eu estou falando. Quem somos nós para chegar e dizer: ‘Tu não vai te aproximar dele’? Eu não queria porque eu sabia quem ele era desde o começo. Tu não quer acreditar que esse tipo de coisa vai acontecer, essa é a verdade”, acrescenta o filho.

Os filhos esperam por justiça, e dizem que querem ver o pai preso.

Nas últimas semanas, o homem se reaproximou dos filhos depois de 18 anos sem contato. Passou a morar com a ex-esposa no mesmo prédio onde eles moram, e no último mês foi até Santa Catarina visitar um dos filhos que mora lá.

Horas antes do crime, a mulher fez contato com os filhos. “A mãe mandou uma selfie com ele, super feliz”.

Suspeito parou o carro na estrada, alegando problemas técnicos, mas passou a disparar contra a vítima. Mulher sobreviveu e relatou tentativa de feminicídio à polícia — Foto: Divulgação/Brigada Militar
Suspeito parou o carro na estrada, alegando problemas técnicos, mas passou a disparar contra a vítima. Mulher sobreviveu e relatou tentativa de feminicídio à polícia — Foto: Divulgação/Brigada Militar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui