Há um mito entre a sociedade brasileira em que pessoas magras demais não são saudáveis, e que pessoas com sobrepeso são saudáveis.

Mas de acordo com Abdon Murad Júnior: “Mesmo que muitas pessoas associam a magreza exagerada com um indivíduo fraco e, portanto, com baixa imunidade. Mas o que muita gente não sabe é que o excesso de peso influência o sistema de defesa do nosso organismo.” Ele diz.

No momento em que algum microrganismo patogênico (como vírus ou alguma bactéria) invade o corpo, ele se arma com o sistema imunológico para se proteger contra doenças.

Desse modo, ao se sentir-se com a imunidade frágil, a pessoa fica mais propensa a contrair infecções e outros problemas de saúde, e inúmeros deles muito graves.

Mas como o excesso de peso afeta a imunidade? Abdon Murad Jr. explica!

A maioria já sabe sobre os perigos para a saúde que o acumulo de peso pode trazer para o corpo, são elas:

Hipertensão;

Doenças cardíacas;

Colesterol elevado;

Diabetes e problemas metabólicos.

Entretanto, um dos males que essa condição também pode causar é a baixa imunidade, o que faz com que indivíduos obesos adoeçam com mais facilidade.

Mas por quê?

“O problema ocorre porque o tecido adiposo promove a inflamações e produz substâncias, são conhecidas e chamadas de adipocinas. O que acaba atrapalhando o trabalho do sistema de defesa do organismo.” Diz Abdon José Murad Jr. Sendo assim, o corpo fica mais suscetível a uma série de doenças infecciosas.

Um dos piores momentos então é no período do inverno. Porque ela é a estação mais seca e a estação em que as pessoas ficam mais aglomeradas e doentes, e, consequentemente, os pacientes com sobrepeso correm mais riscos de adoecer.

“Acontece porque a contaminação por vírus e bactérias se torna mais fácil.” Comenta Abdon José Murad Júnior.

Um fator primordial para as pessoas obesas é a má alimentação. Levando em consideração essa questão, o sobrepeso pode ser consequência também da má alimentação, principalmente do consumo exagerado de açúcar e gorduras.

No momento que o organismo deixa de receber as vitaminas, nutrientes e minerais (  frutas, verduras e legumes) necessários para o seu bom funcionamento, também fica mais desprotegido contra a invasão de agentes patogênicos.

De acordo com Abdon José Murad Jr, o excesso de peso pode favorecer doenças respiratórias, porque além das doenças infecciosas, pessoas com excesso de peso podem contrair doenças respiratórias com mais facilidade, como rinite, asma, sinusite e até apneia do sono. Existe inclusive um tipo de asma que praticamente só ocorre com o excesso de peso.

Essa explicação vem através do excesso de gordura da região cervical, um indicativo da quantidade de gordura que o indivíduo tem no tórax, situação que dificulta a respiração. É uma situação que coloca um limite na expansão dos pulmões, por isso a entrada e saída de ar pode ficar comprometida.

Mas então, “O que fazer para aumentar a minha imunidade?”

A primeira e mais forte opção será emagrecer. Mas, a recomendação é que esse processo seja acompanhado de perto por um médico endocrinologista e um nutricionista. Fuja de dietas milagrosas, pois elas só irão deixar o seu organismo mais fraco.

É necessário perder peso com saúde e com uma alimentação balanceada que inclua legumes, frutas, verduras, cereais integrais e carnes magras. A dica é montar um prato colorido, que contemple diferentes tipos de nutrientes.

Relacionado a isso, é imprescindível a prática regular de exercícios físicos que, além de ajudarem no emagrecimento, trazem disposição para o dia a dia e afastam o estresse, um fator que também pode baixar a imunidade.

Então, o excesso de peso afeta não só a qualidade de vida como é uma condição de risco para deixar o sistema imunológico fraco e, portanto, o organismo mais suscetível a doenças.

Voltando para as doenças respiratórias (como rinite e sinusite) e infecciosas (como gripe e resfriado) costumam aumentar no inverno, certo?

Como mencionado, ao aglomerar pessoas, a aglomeração de pessoas em ambientes fechados, e o contato com superfícies contaminadas, aumentam a poluição no tempo seco.

Portanto, ao adoecer, tanto nesta época quanto no resto do ano, a gordura abdominal, além de aumentar a glicose, o colesterol e os triglicérides, vai favorecer inflamações e diminui a imunidade do corpo.

Fatores primordiais para isso são os doces. Como chocolate, por exemplo, pode prejudicar o sistema de defesa do corpo, enquanto alimentos como cebola, alho e frutas in natura (laranja, limão, maracujá, acerola e outras) ajudam a aumentar a imunidade.

É bom ressaltar os aspectos que mais fazem mal para não bater batido, já que, obesidade é uma doença séria.

O tecido gorduroso produz substâncias que afetam o sistema imunológico. Por isso, os obesos estão mais sujeitos a diversos problemas de saúde.

O excesso de peso pode também afetar o sistema imunológico e, por isso, aumentar as chances de infecções e diversos outros problemas de saúde.

Acontece porque a obesidade aumenta a reação inflamatória do organismo em um nível muito mais alto do que o normal.

Mas além disso, estudos mostram que o tecido adiposo produz substâncias que prejudicam o trabalho das células de defesa e, por isso, elas não conseguem mais eliminar “corpos estranhos”, como vírus e bactérias, por exemplo. 

Concluindo: Quem engorda costuma ficar mais doente e pegar mais infecções, mas isso felizmente, o caso é reversível.

“Mas como devo me alimentar?”

Para uma alimentação equilibrada, sendo ela papel importante tanto no controle quanto na prevenção da síndrome metabólica.

Há dados recentes que associam a presença da doença com baixo consumo de grãos integrais, frutas e vegetais.

Os alimentos são fontes importantes de fibras, nutriente este que está associado à redução de riscos cardiovasculares.

Não deixe a doença se instalar, a obesidade tem causa multifatorial. Procure ajuda com profissionais devidamente habilitados.

“Não deixe de praticar atividades físicas regulares e mantenha uma alimentação equilibrada.” Explica Abdon Jr.

Cuidado com os “milagres” ou as pílulas mágicas. Saúde é coisa séria, verifique com seu médico a melhor opção para você.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui