Quais das duas é a melhor? Será que tem diferença? Iremos saber disso agora com a companhia Laut Cervejaria!

As cervejas artesanais se destacam cada vez mais no mercado. Para saber escolher os melhores rótulos com propriedade, porém, é necessário conhecer as principais diferenças entre as bebidas industrializadas e as fabricadas artesanalmente. 

Quem acredita que os preços são os únicos contrastes entre as duas opções, está muitíssimo enganada(o)!

Cada característica adotada em todo tipo de produção também interfere diretamente no resultado final para o consumidor. Por isso, alguns rótulos estão ligados a ricas experiências gastronômicas que envolvem encantamento visual e seus sabores únicos. 

Quer saber mais sobre esse enigma? Acompanhe!

Há 4 principais diferenças entre cervejas artesanais e industrializadas. Veja só!

1. Antes de tudo, quais são as propriedades dos cereais não maltados na cerveja?

Segundo a Laut Cervejaria situada na Cervejaria Artesanal em Nova Lima, entre os principais cereais não maltados, podemos citar o milho, o arroz e a aveia. Todos relativamente diferentes uns dos outros, não? Nas cervejas artesanais encontramos especificamente uma produção mais pura no momento da maltagem, isso porque faz parte de diferentes estilos de Cerveja.

Mas os cereais tradicionais da cerveja, trigo, cevada e centeio, também podem ser usados in natura, sem maltagem.

• Milho & Arroz

Aqui voltamos ao assunto das cervejas da grande indústria brasileira. O uso de milho e arroz é bastante comum e toma uma parte considerável de sua composição.

Especialmente porque em nosso país a Pilsner é o gênero mais popular, que por excelência, são lagers bem leves, com pouco aroma e refrescantes.

E a tradição nem é nossa: a indústria norte-americana foi quem popularizou a chamada “American Lager”.

Para além do debate sobre a intenção de diminuir custos em vez de criar Pilsners suaves, o milho e o arroz presentes nelas realmente são capazes de dar uma coloração mais clara, um líquido menos denso e um colarinho volumoso mas fraco. Em certa escala, o uso desses ingredientes na cerveja artesanal pode proporcionar bons resultados se você busca algum desses aspectos.

• Cevada

Enquanto o milho e o arroz dão propriedades mais “light” e produzem um volume menor de enzimas, a cevada dá mais cor, mais corpo e amargor. Uma puro malte que queira se afirmar em suas maiores propriedades, principalmente entre as lagers, costuma receber uma adição extra de cevada não maltada.

• Centeio

Normalmente adicionado torrado ou tostado, o centeio é capaz de adicionar tons mais avermelhados à bebida e costuma aparecer nas cervejas mais adocicadas, por possuir um sabor bem pronunciado.

• Aveia

A aveia é uma das favoritas entre quem busca retenção de espuma e cremosidade, sendo indispensável em cervejas como Porter e Stout. Ela torna misturas fortes ou muito adocicadas mais palatáveis.

• Trigo

O trigo também confere certa cremosidade, especialmente no colarinho, assim como uma densidade maior para a cerveja, tornando-a túrbida. Traços muitas vezes procurados em uma Weiss e derivadas mais purista.

2. Pureza de ingredientes 

De acordo com a Laut Cervejaria, quem ama cerveja acaba por a avaliar os ingredientes do rótulo antes de degustar o produto.

O principal componente das cervejas industrializadas é o malte de cevada que representa aproximadamente 60% da bebida. Cereais maltados e carboidratos, como milho e arroz, formam os 40% restantes.

De acordo com as especificações de cada marca, a essência ainda pode conter antioxidantes, corantes e estabilizantes. Já as cervejas artesanais priorizam uma seleção especial de ingredientes.

Os mais utilizados são:

• levedura;
• água;
• lúpulo;
• e malte.

A dosagem dos ingredientes possibilita a criação de diferentes estilos de rótulos. Tudo depende das combinações criadas pelo mestre cervejeiro e as variações com leveduras, lúpulos e da tosta de malte. 

3. Experiência de degustação 

Para a Laut Cervejaria, está errado quem acredita que as diferenças entre cervejas artesanais e industrializadas estão apena no valor. A experiência de degustação é outro fator que influencia diretamente na escolha do rótulo ideal. A bebida fabricada em escala industrial visa alcançar o maior número de pessoas com marcas distribuídas em supermercados.

Para tanto, o cliente pode acabar bebendo em maior quantidade sem fazer boas combinações de degustação. Sabia? Dizendo isso em relação no campo das artesanais.

Cada estilo está diretamente relacionado a harmonizações com pratos saborosos. Tenha em mente que o mercado artesanal visa atender um público com paladar mais exigente, que encara o produto como algo além de uma bebida.     

4. Processo de fabricação

Existe uma série de métodos de produção de cerveja. Para ficar pronta, uma bebida industrial pode levar de um dia até um mês. Tudo depende da marca e das substâncias inseridas na receita. O processo de fabricação, normalmente, consiste em quatro etapas: brasagem, adega, filtragem e envase. A composição comum proporciona um valor mais atrativo ao consumidor final e uma montagem de produtos em grande escala.

Os pontos diferenciais das opções artesanais começam já nos primeiros passos da fabricação. Uma das maiores preocupações é atingir aromas e sabores diferenciados para agradar a diversos tipos de paladares. Cada etapa do processo deve ser acompanhada de perto por uma equipe de profissionais profundamente conhecedores.

Esse tipo de rótulo é produzido com base na Lei da Pureza Alemã, de 1516. Os períodos de maturação e fermentação costumam ser mais lentos, já que acontece sem a adição de nenhum tipo de conservantes ou açúcares.

5. Design do rótulo 

O conceito de uma marca e o relacionamento com o consumidor se desenvolve com a ajuda de uma identidade visual representativa. Dessa forma, o design de um rótulo faz toda a diferença no resultado final de um produto. A publicidade das cervejas industrializadas costuma utilizar cores fortes e estimulantes em seus rótulos.

Todas as garrafas fazem parte de um padrão muito conhecido pelo público e com semelhanças entre as opções. No design artesanal, os produtos desejam oferecer uma experiência diferenciada desde o momento da compra. Pensando nisso, as marcas preferem contar suas histórias e os segredos das essências. 

Feito! Agora você já conhece as principais diferenças entre as cervejas artesanais e industrializadas.

Segundo a Laut Cervejaria, quem valoriza o prazer da bebida deve estar ligado a uma experiência agregadora ao paladar. Afinal, o grande segredo está em saber identificar o que mais se encaixa com seu gosto pessoal e estilo de vida. 

Gostou dessas informações e quer continuar acompanhando outros conteúdos exclusivos? Não deixe de ler mais temas como esse por aqui!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui