Boletim de ocorrência registrado pela mãe da menina narra que o suspeito vestia o uniforme da guarda e levou a adolescente para dentro de um lote baldio, onde teria passado a boca nos seios dela. A corregedoria da Guarda também apura o caso. Guarda é suspeito de abusar de adolescente em Cristalina
Um guarda civil municipal de Cristalina, no Entorno do Distrito Federal, é suspeito de importunar sexualmente uma adolescente de 15 anos. A mãe da menor registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil alegando que a filha teria sido seguida pelo homem após sair de uma padaria e que o suspeito a teria levado para um lote baldio e tocado em seu corpo. Um vídeo de uma câmera de segurança filmou a ação do suspeito (veja acima). A polícia e a corregedoria da guarda apuram a denúncia.
O nome do suspeito não foi divulgado, portanto, o G1 não conseguiu encontrar o advogado de defesa para se posicionar sobre o caso. Em nota, a Guarda Civil Municipal de Cristalina disse que assim que tomou conhecimento da acusação que envolve um de seus agentes como possível suspeito de crime, conduziu o homem até à polícia para prestar os devidos esclarecimentos (veja a nota na íntegra ao final).
A reportagem ligou para o delegado Fabiano Medeiros, às 19h48, que preferiu não falar sobre a investigação. Em nota enviada mais cedo à TV Anhanguera, o delegado informou que o guarda não foi preso porque não houve flagrante e que o caso é investigado sob sigilo.
O caso aconteceu na sexta-feira (5). O boletim de ocorrência diz que “a suposta vítima relata que foi abordada por um homem que primeiramente a seguiu de dentro de um carro enquanto caminhava por uma via pública. Posteriormente [suspeito] desceu do carro e a levou para um lote vazio onde havia prática de sexo oral nos seios dela”.
A polícia solicitou então o recolhimento de saliva dos seios da vítima para confrontar com o material genético recolhido do suspeito. Foi pedido também o exame para constatar se houve conjunção carnal, e em caso positivo, foi pedido que o laudo aponte a data provável do fato para um possível indiciamento na Justiça.
Segundo publicação do Conselho Nacional de Justiça, o crime de importunação sexual também enquadra ações como beijos forçados e passar a mão no corpo alheio sem permissão. O infrator pode ser punido com prisão de um a cinco anos.
Seguida por carro
A mãe da adolescente contou à polícia que a filha foi seguida por um carro enquanto caminhava numa via pública, logo depois de sair da padaria. O suspeito também estaria nessa padaria pouco antes da menina entrar.
Consta no boletim de ocorrência que a menor descreveu o suspeito como um homem alto, de pele clara, trajando o uniforme da Guarda Civil.
“A minha filha foi à padaria às 10h e esse cidadão estava lá. Ele ficou esperando ela dentro do carro, ela saiu e ele ficou. Quando chegou perto de um lote, ele puxou ela para abusar dela”, disse a mãe da adolescente.
Durante o suposto acompanhamento que o homem teria feito de carro, ele parou o veículo em frente a um lote baldio e teria forçado a menina a entrar no local.
O relato da ocorrência segue dizendo que o homem colocou a mão na boca dela, levantou a blusa e passou a boca nos seios dela. Para que a adolescente não contasse o ocorrido para outra pessoa, ele teria a ameaçado de morte, pois alegou saber onde ela morava.
Nota da Guarda Civil de Cristalina
A Guarda Civil Municipal de Cristalina, assim que tomou conhecimento da acusação que envolve um de seus agentes como possível suspeito de um crime, localizou e conduziu o homem até a polícia para prestar os devidos esclarecimentos e para que fossem realizados todos os procedimentos cabíveis, o que já está sendo feito tanto pela corregedoria da Guarda Civil Municipal como pela Polícia Civil, de forma que esclareça o fato.
Vale ressaltar que o GCM em questão estava em sua folga no dia do ocorrido e que o mesmo não trabalha nos serviços ostensivos e operacionais da corporação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui