Depois da divulgação desse esclarecimento da OMS, o presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer que o Brasil pode deixar a organização depois da pandemia. OMS recua e afirma que pacientes assintomáticos podem transmitir Covid-19
A Organização Mundial da Saúde recuou nesta terça-feira (9) e afirmou que pacientes assintomáticos podem, sim, transmitir a Covid-19. A OMS reforçou que a estratégia de combate à doença não mudou.
Nesta segunda (8), a líder técnica de emergências da OMS, Maria Van Kerkhove, disse que há uma série de relatos de países que estão fazendo rastreamentos muito detalhados, seguindo casos assintomáticos e os contatos deles, e que não estão encontrando transmissões secundárias. Ela chegou a ressaltar: “é muito raro”.
A declaração de que a transmissão de assintomáticos parece rara causou surpresa entre especialistas no mundo todo. Na manhã desta terça, na abertura de uma reunião ministerial, o presidente Jair Bolsonaro chegou a dizer que a informação poderia levar à suspensão de medidas de isolamento.
“Isso pode sinalizar a uma abertura mais rápida do comércio e a extinção daquelas medidas restritivas adotadas, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal, adotadas por governadores e prefeitos”, afirmou Bolsonaro.
Poucas horas depois, a OMS fez uma transmissão ao vivo em redes sociais para discutir formas de transmissão da Covid-19. O objetivo, como reconheceu a própria epidemiologista Maria Van Kerkhove, foi fazer esclarecimentos diante de toda a repercussão da declaração desta segunda.
Ela classificou como um mal-entendido a afirmação de que a transmissão assintomática globalmente é muito rara e explicou que estava se referindo a um pequeno grupo de estudos e dados ainda não publicados. A epidemiologista ressaltou que ainda não há conclusões sobre a transmissão de assintomáticos, que alguns especialistas, dependendo do tipo de cálculo e do país analisado, estimam que até 40% das transmissões da Covid-19 possam ser provocadas por pessoas sem sintomas.
O diretor-executivo do programa de emergências, Michael Ryan, disse que está absolutamente convencido de que pessoas assintomáticas transmitem o novo coronavírus. A questão é saber quanto.
Ele destacou que, apesar de faltarem muitas respostas, o que se sabe já é o suficiente para manter as estratégias – entre elas, o distanciamento social. E frisou: “Os países que adotaram as medidas abrangentes se saíram melhor”.
Depois da divulgação desse esclarecimento da OMS, o presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer que o Brasil pode deixar a organização depois da pandemia. É a segunda vez em quatro dias que o presidente faz essa ameaça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui