A entidade se inscreveu em edital do Fundo Casa Socioambiental e teve seu projeto aprovado. Comunitários de Apacu em reunião antes das medidas de isolamento social
Ascom Ecam/Arquivo
A Associação de Preservação Ambiental da Comunidade de Urupanã (Apacu), de Terra Santa, oeste do Pará, conseguiu ajuda financeira para aquisição de insumos para produção de máscaras em tecido para proteção individual contra a covid-19, compra de gêneros alimentícios e itens de higiene para ajudar famílias que estão sem condições de realizar suas atividades econômicas por conta do isolamento social.
A entidade inscreveu um projeto no edital do Fundo Casa Socioambiental e conquistou um aporte financeiro para ações emergenciais de enfrentamento à covid-19. São 35 famílias as famílias que sobrevivem de atividades agroextrativistas na zona rural do município e são vinculadas à associação.
O projeto tem valor de aproximadamente R$ 5 mil. A proposta é comprar insumos para produção de 100 máscaras em tecido para distribuir na comunidade e 35 cestas básicas e itens de higiene pessoal.
A iniciativa, segundo a técnica da Equipe de Conservação da Amazônia, Heloisa Cardoso, que atua no eixo Capital Social do Programa Territórios Sustentáveis, surgiu a partir da divulgação do edital via um grupo em rede social.
“O presidente da associação manifestou interesse pelo grupo a qual fazemos parte, combinamos um horário no escritório do PTS e lá pediram mais informações sobre o edital, questionando se a associação poderia apresentar proposta, como eles tinham o perfil, iniciamos a construção das ideias que seria ajudar as famílias que neste momento encontram-se “recolhidas” na comunidade, com mais dificuldade em vender a produção e fazer trabalhos informais”, relatou Heloisa Cardoso.
O edital do Fundo Casa Socioambiental foi lançado com o objetivo de apoiar iniciativas voltadas às soluções sanitárias e de redução aos impactos socioambientais, fortalecer as capacidades de incidência para a garantia e a defesa de direitos e disponibilizou recursos a fundo perdido no valor de até R$ 25 mil, para instituições da sociedade civil organizada nas regiões norte e nordeste do Brasil.
O eixo Capital Social do PTS atua no fortalecimento de iniciativas como a da Associação de Urupanã – Apaucu, e além da assessoria técnica em elaboração de projetos também realiza capacitações voltadas ao empreendedorismo, economia solidária, prestação de contas, associativismo, cooperativismo, direitos individuais e coletivos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui