Sem os arraiais, os componentes das quadrilhas juninas dançam dentro de casa: com máscara, sem juntar muita gente e compartilham os vídeos na internet. Elba Ramalho precisou cancelar 18 shows pelo Nordeste. Festa Junina na pandemia: quadrilhas transmitem coreografias pela internet
As tradições das festas juninas também precisaram se adaptar, mas sem perder a alegria.
Em Belo Horizonte, 60 carros com caixas de som e muita gente fantasiada da União Junina Mineira. É o cortejo junino, uma festa sobre rodas. Animação sem limite, mas em cada carro, nó máximo três pessoas.
Em Pernambuco, festa junina combina com forró. O sanfoneiro Léo Lima espera o ano inteiro pela temporada. É quando a agenda fica cheia, diferente deste ano. “A gente escolhe ser músico pelo coração, por amor e paixão. Quando a gente fica sem poder fazer isso, é complicado”, desabafa.
Até uma estrela da festa, Elba Ramalho precisou cancelar 18 shows pelo Nordeste. Mas não está dando espaço para a tristeza. “É um mês para a gente de grande força, de tradição, de costume, de encontros, de alegria, a gente vai procurar comemorar dentro de casa”, conta.
Neste sábado (13) é o dia dele: Santo Antônio, o santo casamenteiro. O primeiro dos três santos festeiros homenageados no mês de junho em todo o Nordeste. Mas na pandemia os festejos foram cancelados. As aglomerações com mais de dez pessoas estão proibidas em Pernambuco. Para não passar em branco, o jeito é festejar com a ajuda da tecnologia.
Sem os arraiais, os componentes das quadrilhas juninas dançam dentro de casa: com máscara, sem juntar muita gente e compartilham os vídeos na internet. Também dá para acompanhar online, pelas lives.
“Neste momento é o que a gente tem que fazer. Pela prevenção, pelo cuidado, a gente prefere fazer dessa forma”, afirma Renê Cabral, coreógrafo.
O Caio e a Helen são irmãos e personagens de destaque na quadrilha junina. Formam o casal de noivos. Eles gravam vídeos com a coreografia que iriam apresentar nos arraiais. O espetáculo vai parar nas redes sociais.
“Como eu sou o noivo e a minha irmã é a noiva, então a gente não quebrou a quarentena. E o bacana foi isso que o meu pai foi o cinegrafista e eu mesmo editei”, conta Caio Menezes, noivo da quadrilha.
Para quem ama o São João, dá para matar um pouco a saudade para esperar a festa do ano que vem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui