Pacote inclui cortes de impostos para pequenas e médias empresas, expansão do esquema de depreciação instantânea, simplificação regulatória e medidas de liquidez. Sebastián Piñera, presidente do Chile, em pronunciamento em Santiago
Prensa/Gobierno de Chile
O ministro das Finanças do Chile, Ignacio Briones, anunciou um novo pacote de apoio à população e estímulo econômico no valor de US$ 12 bilhões por dois anos para enfrentar os efeitos da pandemia de coronavírus, após um acordo entre governo e oposição na madrugada deste domingo.
O pacote econômico inclui medidas tributárias, como cortes de impostos para pequenas e médias empresas entre 2020 e 2022, expansão do esquema de depreciação instantânea, simplificação regulatória e medidas de liquidez.
Ministro da Saúde do Chile deixa o cargo após polêmica sobre contagem dos mortes por Covid-19
Também aumenta o valor do subsídio de renda para a população mais vulnerável previamente estabelecido pelo governo.
O anúncio ocorre após semanas de disputas políticas e críticas feitas por especialistas à maneira como o governo tem lidado com a crise sanitária, já que os casos confirmados de coronavírus a cada 100 mil cidadãos atingiram níveis apenas superados por pequenos países como o Catar.
Chile e Peru estão no topo de casos per capita de Covid-19 na América do Sul
O ministro Briones disse que o Chile está passando por um “momento único” em sua história, uma vez que enfrenta as semanas mais difíceis do combate à pandemia, e que a única maneira de escapar disso é trabalhando em conjunto para oferecer aos cidadãos “um sinal de esperança”.
No sábado, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, demitiu o ministro da Saúde, Jaime Manalich, que havia sido criticado por não implementar quarentenas mais cedo e por mudanças na metodologia de divulgação de casos e mortes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui