Presidente do Ceasa diz que ‘não há clima para festas’, mas garante comercialização do milho para quem quiser montar uma mesa junina na própria residência. Ceasa faz plantão para venda de milho
A pandemia do novo coronavírus suspendeu as festas de rua para celebrar São João em todo o estado de Pernambuco. Ainda assim, o Centro de Abastecimento e Logística (Ceasa), que fica no Curado, na Zona Oeste do Recife, manteve o tradicional plantão 24 horas do pátio do milho até a segunda-feira (22) (veja vídeo acima).
Confira os serviços afetados por medidas restritivas
Saiba o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus
Coronavírus: veja perguntas e respostas
Na véspera da festa, terça-feira (23), o Ceasa funciona das até às 18h. No dia dedicado ao santo, quarta-feira (24), o pátio do milho vai funcionar das 5h às 13h. A tradicional festa do dia 24, com apresentação de bacamarteiros, não acontece neste ano.
O presidente do Ceasa, Gustavo Melo, afirmou que a safra de milho aumentou em comparação com 2019 devido às chuvas registradas no interior do estado. O centro já constatou aumento da entrada do milho que vem tanto do Sertão, quanto do Rio Grande do Norte.
Apesar de não haver festas, a expectativa é que os consumidores levem os sabores juninos para mesa de casa. “Temos um fator atípico de não ter festas esse ano, mas a crise econômica e o desemprego faz com que estejam comprando mais milho para fazerem bolo, canjica, pamonha e revender”, explicou.
Centro de Abastecimento e Logística de Pernambuco (Ceasa) recebe safra de milho para o São João
Marlon Costa/Pernambuco Press
A expectativa boa para as vendas, porém, não minimiza os problemas relacionados à pandemia. O presidente Gustavo Melo contou que não haverá festa no Ceasa. “Não tem clima para festa. Vamos garantir a comercialização”, disse.
Comerciantes do Ceasa contaram ainda que a mão de milho está entre R$ 15 e R$ 25 neste ano. Sugeriram que, na hora da compra, os consumidores optem pelo milho mais verdinho para cozinhar e comer com as mãos. Já para as comidas feitas de milho, como pamonha, a sugestão é que comprem o milho mais amarelado.
Para garantir a segurança de consumidores e vendedores, máscaras foram distribuídas essa semana no local. O uso do equipamento é obrigatório em todo o estado desde o dia 16 de maio.
Pátio do Milho, no Ceasa, iniciou vendas juninas
Marlon Costa/Pernambuco Press
Pandemia
Com mais 50 óbitos confirmados na quarta-feira (17), Pernambuco ultrapassou a marca de 4 mil mortes causadas pela Covid-19. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), são 4.009 registros de pessoas que faleceram com a doença causada pelo novo coronavírus.
O estado também contabilizou 1.019 novos casos, o que eleva o total a 47.446 pacientes. Das 1.019 confirmações, 858 foram de casos considerados leves, enquanto 161 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).
Initial plugin text

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui