Unidade começou a funcionar na noite dessa quinta-feira, quando recebeu um paciente foi transferido do HGR. Outros 19 infectados pelo vírus foram transferidos na madrugada desta sexta. Hospital de Campanha foi construído exclusivamente para casos de coronavírus. Hospital de Campanha recebeu o primeiro paciente na noite desta quinta-feira (18) e outros 19 durante a madrugada desta sexta-feira (19)
Laudinei Sampaio/Rede Amazônica
O Hospital de Campanha, construído pela Operação Acolhida, começou a funcionar na noite desta quinta-feira (18), informou o governo de Roraima. A unidade já atende 20 pacientes de coronavírus que foram transferidos do Hospital Geral de Roraima (HGR).
A unidade exclusiva para tratamento da Covid-19 começa a funcionar três meses após o previsto e seis adiamentos da inauguração. Os principais motivo do atraso foram a falta de equipamentos e profissionais que deveriam ser cedidos pelo governo estadual.
Flexibilizações no comércio de Boa Vista dependem de abertura do Hospital de Campanha, diz prefeita
Operação Acolhida constrói hospital para atender pacientes com coronavírus em Roraima
O Hospital de Campanha começa a funcionar com 80 leitos, conforme o previsto desde seu anúncio. O governo estadual disse que até a próxima semana haverá 174 leitos na unidade.
Às 23h desta quinta-feira (18), o primeiro paciente foi transferido do HGR para a área de Proteção e Cuidados, como é chamado a unidade do Exército. Os outros 19 foram transferidos durante a madrugada desta sexta.
“Foram diversos empecilhos que tivemos que enfrentar, mas o secretário de Saúde [Marcelo Lopes] promoveu uma articulação com as entidades ligadas ao setor de saúde do Estado, estabelecendo os critérios necessários de contratação e atuação dos profissionais no momento dos atendimentos”, afirmou Denarium.
Durante a pandemia de coronavírus, Roraima teve quatro secretários de Saúde e Denarium chegar a dizer que os ex-chefes da pasta Allan Quadros Garcês e Francisco Monteiro chegaram a atrapalhar a gestão no combate ao coronavírus.
O HGR já atuava acima da capacidade com leitos superlotados e pacientes esperando por atendimento e medicação nos corredores da unidade.
Em Roraima, pacientes se amontoam em corredores lotados à espera de atendimento
O governo afirma que gastou R$ 1.534.641 para adquirir 20 monitores, 20 respiradores, 01 desfibrilador e 03 ventiladores de transporte que estão a disposição da unidade.
Quando o Hospital de Campanha foi anunciado, Roraima tinha dois casos da doença e nenhuma morte confirmada. Até a noite desta quinta, os óbitos por Covid-19 chegaram a 239 e os casos saltaram para 7.650.
Hospital das Clínicas
Outros 27 pacientes com diagnostico de Covid-19 também foram transferidos do HGR para o Hospital das Clínicas nesta quinta, de acordo com o governo.
“Serão 47 novos leitos disponibilizados no Hospital das Clínicas, que vão desafogar o atendimento no HGR”, diz publicação do governo em uma rede social.
As transferências ocorrem dois dias antes da previsão de pico de contágio do novo coronavírus, apresentado pelo governo e também pela prefeitura e Boa Vista.
Matéria em atualização*
Initial plugin text

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui