País tenta reestruturar US$ 65 bilhões em dívida externa. Governo tem promovido sucessivos adiamentos nos prazos de negociações. O governo da Argentina estendeu para 24 de julho o prazo para um acordo em torno da reestruturação da dívida com credores, informou o Ministério da Economia em comunicado nesta sexta-feira (19).
O governo da Argentina tenta reestruturar cerca de US$ 65 bilhões em dívida externa. O país tem promovidos vários adiamentos nas negociações com credores internacionais nas últimos semanas.
Segundo a agência Reuters, o novo prazo ocorre em meio a um impasse entre credores e o governo, com um grupo de detentores de títulos classificando as negociações nesta semana como um “fracasso”. O atraso dá espaço para que os dois lados aliviem tensões e diminuam a divisão restante depois de terem feito progresso significativo nos últimos meses.
“Vamos nos recompor e vamos chegar a um acordo”, disse o presidente argentino Alberto Fernández, que assumiu o cargo em dezembro passado, em transmissão de rádio nesta sexta-feira, acrescentando estar “confiante” que um acordo poderia ser alcançado.
Em maio, a Argentina deixou de fazer o pagamento de cerca de US$ 500 milhões em cupons de bônus já atrasados, marcando o nono default soberano do país.
O presidente da Argentina, Alberto Fernández, durante visita a Paris
Stephane de Sakutin/AFP
Em comunicado, o ministério da Economia informou que o governo “manteve discussões pró-ativas com diferentes grupos de investidores” nesse período de negociação.
“A Argentina acredita firmemente que uma reestruturação bem-sucedida da dívida contribuirá para estabilizar a atual condição econômica, mitigando as restrições de médio e longo prazo na economia argentina”, afirmou o ministério.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui