Na quinta, moeda subiu 2,07%, para a R$ 5,3698 – maior cotação de fechamento desde 1º de junho. O dólar opera em queda nesta sexta-feira (19), acompanhando o movimento de recuperação dos ativos de risco no exterior em meio a esperanças de uma retomada econômica global, após ter voltado a passar de R$ 5,30 na véspera, após sete altas consecutivas.
Às 9h12, a moeda norte-americana era vendida a R$ 5,3502, em queda de 0,37%. Veja mais cotações.
Na quinta-feira, o dólar subiu 2,07%, para R$ 5,3698 – maior cotação de fechamento desde 1º de junho (R$ 5,3868). Com isso, a moeda, que vinha acumulando queda no mês, passou a subir 0,36% no período. No ano, a alta acumulada é de 33,92%.
Cenário local
No exterior, o dia é de otimismo, com os investidores apostando em uma recuperação da atividade econômica pós-pandemia, ignorando o aumento diário de novas infecções por coronavírus em vários Estados norte-americanos.
O petróleo Brent operava em alta em meio a sinais de recuperação gradual da demanda e à promessa dos produtores de petróleo de atender a cortes de oferta.
Califórnia, Flórida e Carolina do Norte pediram o uso obrigatório de máscaras na quinta-feira, com pelo menos seis Estados dos EUA registrando recordes diários de casos de coronavírus.
A China continental também relatou 32 novos casos de infecções, um aumento em relação ao dia anterior. Mas os índices acionários do país subiram e encerraram a semana com ganhos, liderados pelas startups, uma vez que os investidores comemoraram a promessa de Pequim de reformas e suporte à liquidez para impulsionar a economia.
Dólar em 18.06.2020
Economia G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui