Equipamentos, obrigatórios no comércio em Macapá, utilizam laser para detectar se clientes estão com febre. Distância influencia na precisão do resultado. Especialistas alertam para uso correto do termômetro infravermelho
O uso do termômetro digital infravermelho está entre as condições para a reabertura do comércio em Macapá. Com ele, é possível fazer a aferição rápida da temperatura corporal. Mas, existem regras básicas para usar o equipamento e fazer uma triagem correta para detectar febre, um dos principais alertas da Covid-19.
Confira na íntegra o decreto de retorno das atividades
O equipamento afere a radiação da pessoa, que é convertida em temperatura, porém uma das características deste produto, é que a distância, pode fazer a temperatura variar em até 3 graus. Quanto mais longe, menor vai ser a precisão da aferição, dizem especialistas.
“Eles têm uma bateria de 9 ampéres e com um ponto luminoso de laser ele consegue a uma pequena distância, sem contato com o paciente, detectar a temperatura dele”, explicou o médico Advaldo Vale
Passageira passa por aferição de temperatura em terminal de ônibus durante barreira sanitária
EPTV/Reprodução
Profissionais da saúde afirmam que a temperatura ideal do corpo humano varia entre 36 e 36,7 graus. Acima de 37 graus é febre e acima de 38 é hipertermia, onde a pessoa deve procurar orientação médica.
Nos supermercados, por exemplo, o equipamento está sendo utilizado para detectar clientes com febre e barrar o acesso ao ambiente interno do estabelecimento para evitar a propagação da doença, além dele ser orientado a voltar para casa.
Funcionária usa termômetro em comércio para identificar clientes com febre
Brenda Ortiz/G1
A demanda pelo aparelho não para de crescer, ainda mais após a primeira etapa da abertura do comércio em Macapá. De acordo com Jomar Freitas, gerente de um supermercado, as indústrias não estão conseguindo suprir os pedidos.
“O preço não está muito acessível. Um aparelho desse hoje em dia está custando em média R$ 380 para você adquirir uma unidade. Antes da pandemia, um aparelho desse não chegava a R$ 40”, explicou.
Para muitas pessoas, o uso do equipamento em estabelecimentos comerciais se tornou uma opção a mais para a aferição da própria temperatura, visto que a febre é um dos sintomas de infecções.
“É muito importante, caso alguém esteja com a temperatura elevada seja encaminhado para um local de referência para que seja feito o devido teste”, reforçou o médico Ulisses Santos.
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui