Editorial de jornal oficial disse que o país precisa de mais ganhos no mercado acionário para financiar a economia digital em rápido desenvolvimento. As ações de blue-chips da China subiram pelo sexto dia seguido nesta terça-feira (7), fechando na máxima de mais de cinco anos. Entretanto, as ações reduziram os ganhos no fim do pregão já que alguns operadores realizaram lucros.
O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,63%, no nível mais alto de fechamento desde 25 de junho de 2015. O índice de Xangai teve alta de 0,37%, no encerramento mais alto desde 6 de fevereiro de 2018.
Ambos os índices reduziram os ganhos de mais de 2% já que os investidores consolidaram suas posições após alguns analistas observarem paralelos com o boom do mercado acionário de 2015. O CSI300 ganhou mais de 14% nas últimas seis sessões.
O índice de Xangai teve seu melhor dia em quase cinco anos na segunda-feira depois que um editorial do jornal oficial China Securities Journal disse que o país precisa de mais ganhos no mercado acionário para financiar a economia digital em rápido desenvolvimento.
As ações financeiras, que haviam subido 9% na segunda-feira, caíram 9% nesta sessão, mas analistas afirmam que os ganhos no mercado podem continuar.
Veja as cotações de fechamento nos mercados da Ásia:
Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,44%, a 22.614 pontos.
Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,38%, a 25.975 pontos.
Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,37%, a 3.345 pontos.
O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,60%, a 4.698 pontos.
Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,09%, a 2.164 pontos.
Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,20%, a 12.092 pontos.
Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 1,05%, a 2.661 pontos.
Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,03%, a 6.012 pontos.
Bolsas sobem com sinais de recuperação econômica da China e do setor de serviços nos EUA