Entre março e maio de 2019, 10,7 milhões de passageiros foram transportados. No mesmo período deste ano, foram 2 milhões de passageiros. O número de passageiros transportados por ônibus rodoviários de São Paulo caiu 73,5% entre os meses de março e maio deste ano. De acordo com a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), no mesmo período de 2019, 10,7 milhões de pessoas foram transportadas, enquanto 2,8 milhões viajaram de ônibus em 2020.
Março, abril e maio de 2019: 10.774.386 passageiros transportados
Março, abril e maio de 2020: 2.8/51.268 passageiros transportados
Nas viagens dentro do estado, o mês de abril teve a maior queda de passageiros. Em abril do ano passado, foram 3,5 milhões de passageiros. Já no mesmo mês deste ano, 350 mil — queda de 90%.
O movimento nos três terminais rodoviários da capital paulista caiu 82% durante a pandemia e a receita das empresas de ônibus caiu 95% em todo o país. Antes da quarentena, uma empresa de ônibus fazia, em média, 30 viagens por dia. Com o início da crise, a empresa ficou fechada e depois passou para duas viagens diárias. Atualmente, são 10 partidas.
As empresas afirmam que intensificaram os protocolos de higiene. Cada uma adotou suas próprias práticas de cuidados. Algumas limitaram a quantidade de passageiros nos ônibus pela metade. Algumas aumentaram os protocolos de limpeza.
Os passageiros precisam medir sua temperatura e usar álcool em gel nas mãos. Alguns ônibus têm tapete com água e amônia para limpar os calçados. Entre uma poltrona e outra há uma cortina para isolar os lugares.
Movimento em rodoviárias de SP caiu durante pandemia
Reprodução/TV Globo