José Aparecido Correa de Lima, de 61 anos, ficou 12 dias internado e não resistiu às complicações da doença. Família não sabe dizer como ele pode ter sido infectado pelo coronavírus. José Aparecido, apelidado de Cido, ao lado da filha Vivian
Arquivo pessoal
“Combateu o bom combate e guardou a fé”. Este é um trecho do depoimento que a técnica de enfermagem Vivian Rodrigues escreveu em suas redes sociais relembrando a trajetória do pai, o policial aposentado José Aparecido Correa de Lima, de 61 anos. Ele morreu de Covid-19 no dia 30 de junho, em Votorantim (SP), após 12 dias internado.
Ao G1, Vivian conta que Cido, como o pai era chamado, trabalhou durante 25 anos na Polícia Militar até se aposentar da corporação, em 2003. Nos últimos anos, trabalhava com transporte de malotes e documentos corporativos. Segundo a filha, ele tinha uma rotina saudável.
“Meu pai praticava exercícios diariamente, trabalhava, ia para a igreja, curtia muito a família e, antes da pandemia, gostava de passear, viajar e jogava futebol aos sábados. Ele também fazia exames médicos regularmente e tinha uma alimentação saudável”, explica.
Acompanhe AO VIVO as notícias sobre a pandemia na região
Vivian não sabe dizer como o pai pode ter sido infectado pelo coronavírus. “Estávamos trabalhando normalmente. Apesar disso, estávamos tomando todos os cuidados necessários contra a Covid-19”, ressalta.
José Aparecido (à esquerda) junto com a família
Arquivo pessoal
12 dias de internação
José Aparecido apresentou os primeiros sintomas da doença no dia 12 de junho e procurou atendimento médico. Ele foi medicado com antibiótico e antigripal e, em seguida, orientado a retornar em caso de febre.
Após apresentar quadro febril, foi encaminhado ao Hospital Evangélico e realizou novos exames, que constataram a necessidade de internação.
Vivian explica que o pai estava forte até o momento de ser internado. “Ele subiu para o quarto andando, não tinha nem falta de ar. Antes da febre, ele pensou que fosse gripe.”
O último contato da técnica de enfermagem com o pai foi marcado por positividade e pela sensação de que tudo daria certo. “Nos vimos pela última vez antes da internação no hospital. Ele sempre pensava positivo e me falou que daria tudo certo”, relembra.
Vivian prestou homenagem ao pai que morreu por Covid-19 em Votorantim (SP)
Reprodução/Facebook
Após 12 dias de luta pela vida, José Aparecido não resistiu às complicações da Covid-19 e morreu em 30 de junho, deixando lembranças para a família, amigos e companheiros de trabalho. Vivian fez um post nas redes sociais em homenagem ao pai (leia acima).
“Ele era presente em absolutamente tudo em nossa família. Amava a esposa, filhos, genro e os netos, dos quais ele era praticamente um segundo pai. Sentirei muita falta da presença dele e de seu jeito alegre e leve de tocar a vida.”
“Meu pai é muito querido por todos que tiveram a oportunidade de conhecê-lo. Ele deixará conosco a união, positividade e o respeito ao próximo”, finaliza a filha.
Initial plugin text
*Colaborou sob supervisão de Ana Paula Yabiku.
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí