Ação foi realizada na Unidade de Conservação Renascer e empresas na vila de Santa Maria do Uruará. Madeira extraída e armazenada ilegalmente pode chegar a 1000 metros cúbicos
Divulgação
Durante ação de fiscalização da Operação Rebote realizada pelo Ibama, ICMBio e Polícia Militar de segunda-feira (27) até está quinta-feira (29) no municípiio de Prainha, oeste do Pará, foi constatada extração ilegal de madeira e uma grande quantidade do produto armazenada de forma ilegal.
A operação faz parte do planejamento anual de ações do Ibama visando o combate ao desmatamento e extração ilegal de madeira na região.
Divididos em cinco veículos e um helicóptero, fiscais do Ibama, servidores do ICMBio e policiais militares foram a diversos pontos da Unidade de Conservação Resex Renascer e da vila Santa Maria do Uruará, onde constatam irregularidades na extração e armazenamento de madeiras em toras e serradas.
A extração ilegal ocorreu dentro da Resex Renascer. A madeira teria como destino empresas localizadas em Santa Maria do Uruará, onde a fiscalização encontrou o produto armazenafo de forma ilegal.
Parte da madeira havia sido deslocada para terrenos baldios
Divulgação
Na tentativa de despistar a fiscalização, parte da madeira havia sido levada dos pátios das empresas fiscalizadas para terrenos baldios.
Máquinas, equipamentos e madeira em situação irregular serão apreendidas. As empresas irregulares tiveram suas atividades bloqueadas. Ao final do procedimento, serão aplicadas multas que podem ultrapassar R$ 200 mil.
Empresas que armazenavam madeira ilegalmente foram bloqueadas pela fiscalização
Divulgação
O volume de madeira a ser apreendido ainda está sendo levantado, mas estima-se em mais de 1.000 metros cúbicos.