André Brandão, presidente do HSBC desde 2012, tem grande chances de ser nomeado para o Banco do Brasil, em substituição a Rubem Novaes, que deixou o cargo na semana passada. O novo presidente do BB será escolha pessoal do ministro da Economia, Paulo Guedes, que já tratou do assunto com o presidente Jair Bolsonaro. Havia interesse de militares de fazer a indicação para o posto.
Desde a saída de Rubem Novaes, Guedes decidiu mudar o perfil do novo presidente do Banco do Brasil. Ele quer alguém com forte atuação no mercado e, de preferência, com experiência em presidência de banco, o que se encaixa no perfil de Brandão. De acordo com Guedes, Brandão tem um perfil semelhante ao do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que conquistou respeitabilidade em Brasília e no mercado – de onde ele também saiu para o governo.
André Brandão durante audiência pública no Senado
Edilson Rodrigues/Agência Senado
Guedes não fala sobre nomes para o Banco do Brasil. Afirma apenas que quer alguém com experiência no mercado e que tenha o desejo de se integrar ao governo.
A demora na indicação do novo presidente do Banco do Brasil se dá porque, segundo Guedes, o escolhido precisaria se desincompatibilizar das ocupações que tem hoje, e isso demanda tempo. Só depois disso, ele seria apresentado a Bolsonaro.
“Não falo em nomes porque isso pode atrapalhar. A indicação pode sair em um dia, três ou um pouco mais de dias”, esquivou-se o ministro Paulo Guedes.
Apesar de não falar em nomes, o ministro tem feito sondagens.
Governo busca novo nome para comando do Banco do Brasil