Brasil tem o maior número de mortes e casos desta sexta (31). Em todo o mês de julho, a Organização registrou quatro recordes mundiais de infecções diárias. Funcionários em roupas de proteção enterram três vítimas do novo coronavírus no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo.
André Penner/AP
O mundo registrou nesta sexta-feira (31) um novo recorde diário de novos casos de coronavírus, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 24 horas, foram 292.527 casos e 6.812 mortes. Brasil foi o que mais registrou casos e mortes.
Nos últimos 14 dias, a OMS registrou quatro recordes diário de novos casos. O último havia sido registrado na sexta-feira passada (24), quando houve 284.196 casos e 9.753 mortes em 24 horas. Os outros foram no dia 23 (mais de 247 mil casos) e no dia 17 (mais de 237 mil casos).
Novo coronavírus pode ter ficado por até 70 anos em circulação silenciosa entre os morcegos, aponta estudo
Os maiores registros seguem acontecendo nas Américas:
Brasil (69.074 casos e 1.595 mortes)
Estados Unidos (65.406 casos e 1.414 mortes)
Índia (55.078 casos e 779 mortes)
Colômbia (8.670 casos e 380 mortes)
Desde o início da pandemia, cerca de seis meses atrás, o mundo registrou um total de 17.106.007 de casos e 668.910 mortes.
1 milhão de novos casos em 100 horas
Outro recorde alcançado em julho foi em relação ao tempo recorde para o mundo registrar um milhão de novos casos: segundo uma contagem da agência de notícias Reuters, no dia 17, pela 1ª vez, houve um aumento de 1 milhão de casos em cerca de 100 horas.
Reino Unido culpa população por novo surto de Covid-19 e impõe medidas de emergência
Fiocruz alerta para possível segunda onda de Covid-19 no Rio, no Ceará e no Maranhão
O primeiro caso de contaminação pelo novo coronavírus, registrado como pneumonia de origem desconhecida, foi relatado na China em dezembro de 2019. Para se atingir 1 milhão de casos de infecção foram preciso cerca de três meses.
OMS relaciona novos surtos de Covid-19 na Europa com comportamento dos jovens
Initial plugin text